Punta del Este e Colonia del Sacramento (Uruguai) – Três passeios bate-volta de Montevidéu

Neste outro post sobre o Uruguai, já mostramos o que fazer em Montevidéu em uma estada curta, desde o be-a-bá até programas mais inusitados. Você também vai encontrar dicas sobre onde ficar, onde comer, quanto custa e que moeda levar.

No seu roteiro pelo Uruguai, você deve ficar pelo menos dois dias em Montevidéu. Com mais tempo disponível, Punta del Este e Colonia del Sacramento são destinos que valem ao menos um pernoite. No entanto, a gente sabe que o bem mais valioso dos dias de hoje é o tempo. Se você não estiver afim de repetir o trâmite faz/desfaz mala, check in/out, esses são os melhores passeios do Uruguai que você pode fazer durante o dia, saindo e voltando para dormir em Montevidéu.

1) Casa Pueblo (em Punta del Este)

Tanto para se hospedar em Montevidéu, quanto em Punta del Leste, você desce no Aeroporto Intencional de Carrasco. Península mais chique da América do Sul, Punta está cercada por praias que se situam ora em bairros de espigões envidraçados, ora em recantos de mansões milionárias. A cidade aposta alto no glamour – ela está cheia clubes de praia, iates, baladas e restaurantes sofisticados frequentados por uma galera que parece ter vindo de uma campanha publicitária da Vogue.

No entanto, se você não tiver tempo para se hospedar lá e curtir os serviços, um bate-volta a partir de Montevidéu é essencial para que se possa conhecer a Casa Pueblo. Ela fica, na verdade, em Punta Ballena, a 10 mintuos de Punta del Este. A casa é o monumento capa do Uruguai Greatest Hits – uma mistura de sensações que mistura a sensação de estar na Grécia, em uma construção projetada por Gaudí e decorada por Picasso.

Construída pelo artista plástico Carlos Vilaró, a casa acabou se tornando também o seu ateliê e escritório. Como ela nunca teve um projeto e foi sendo emendada pouco a pouco, acabou virando um labirinto com lojas, exposições, cafeteria e terraços. Sabe a casa engraçada, que não tinha teto e não tinha nada? É essa! Vinícius de Moraes era amigo próximo de Vilaró e, após visitá-lo, compôs a letra de “A Casa”. Vilaró faleceu em 2014, mas sua aura de artista devotado permanece em todos os cômodos da casa, ainda habitada pelos seus tão amados gatos.

Com toda a curiosidade que a casa desperta desde 1960, quando foi iniciada, a demanda do turismo foi atendida – hoje, há um anexo de 70 quartos, que e mistura com a arquitetura original da casa.

Preço: $U 240,00 (aproximadamente R$ 24,00). Todos os dias, das 10:00 às 18:00.

Como chegar: de carro, em Montevidéu você deve procurar a Ruta Interbalneária. Vai levar de duas a duas horas e meia até chegar a Ruta Panorámica, em Punta Ballena, onde fica a casa. Sem carro, a alternativa é comprar um tour de um dia para Punta del Este a partir de Montevidéu. Pegar ônibus de Montevidéu até o centro de Punta para passar só um dia é doidera – a cidade é toda espalhada e você só vai se cansar, além de gastar muito com táxis.

2) Casita del Chocolate (em Pueblo Edén)

O Uruguai não é dividido em estados, mas em departamentos. E no departamento de Maldonado, no interior, está o pequeno povoado de Edén. Conforme você se aproxima do loca, a paisagem fica cada vez mais rural, até que se chega a Casita del Chocolate. Em um dia frio, como era na ocasião, a pequena doceria instalada em uma casinha de pau-a-pique te suga para dentro.

Este é um lugar capaz de bater qualquer café colonial. Cheia de quinquilharias e jogos de chá da vovó, montada em um espaço para umas 20 pessoas, no máximo, a luz fraca e o cheiro das bebidas quentes sendo preparadas são as mais amáveis boas vindas que você precisa. Paga-se um preço fixo, cerca de R$ 30,00, e são servidos bolos, alfajores, pães e tortas a vontade, além do chocolate quente e os chás. Não precisa nem tomar decisões porque a Romina, criadora e motorzinho do negócio, vai trazendo tudo. Um lugar pra pedir seu/sua namoradx em casamento.

Preço: $U 300,00 a $U 450,00 (aproximadamente R$ 30,00 a R$ 45,00) por pessoa.

Como chegar: aqui não tem alternativa, vai ter que ser de caro. Duas horas a partir de Montevidéu ou 45 minutos à partir de Punta del Este.

3) Colonia del Sacramento

Se indo para Leste de Montevidéu, você vai parar na festeira Punta del Leste, saindo na direção oposta você chega a Colónia del Sacramento.

Uma é tão legal e charmosa quanto a outra – mas cada uma à sua maneira. Colónia é bem mais lenta e interiorana. Cai bem para um passeio fotográfico, um jantar romântico e só uma caminhada pelas margens do Rio da Prata. Vai ser impossível caminhar pelas ruas de casarões centenários e não lembrar das cidades históricas brasileiras. Mas saiba que não é só um deja vu – Colonia tem esse nome justamente por ter sido colonizada por portugueses e espanhóis, em uma guerra de toma lá, dá cá.

Entre os principais marcos que fizeram Colonia ser declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, em 1995, estão: o Portón de Campo, que é a entrada do que já foi a cidade inteira e hoje é chamado de Barrio Historico; a Calle de los Suspiros, a rua mais antiga da cidade; a Plaza Mayor, onde estão fundações e ruínas históricas; os arredores da Iglesia Matriz; e o Faro de Colonia, para ver a cidade de cima.

Dica valiosa: saia cedo de Montevidéu porque, uma vez que chegam as embarcações vindas de Buenos Aires – que fica a só 45 minutos por barco – , a cidade fica bem cheia.

Como chegar: duas horas e meia de carro, pela Ruta 1, que vai no sentido oposto da Ruta Interbalneária. Há tours de um dia organizados a partir de Montevidéu.

Preço: os tours de um dia saem por volta de R$ 170,00 por pessoa. Compensa alugar carro.

Nós visitamos o Uruguai a convite do Uruguay Natural – Ministério do Turismo do Uruguay, com apoio do Seguro GTA.

Texto: Tiago Caramuru
Imagens:Tiago Caramuru
Montagem: Tiago Caramuru / Anderson Spinelli
Edição:Tiago Caramuru

Comentários

Sobre o Autor
- Desde que descobriu que viajar é possível, viciou. Muita disciplina financeira, um pouco de sorte. Nada como uma viagem após a outra. Escreve o blog Esvaziando a Mochila desde 2009. Publicou, em 2014, o trabalho fotográfico Rumo às Primeiras Mil Viagens, compilação de 100 retratos e paisagens feitos pelo mundo, durante quatro anos.