Manaus (Brasil) – Três motivos para ir a Manaus só pra comer

A culinária amazônica de Manaus pode não ter tantas variações quanto a do Pará, mas ainda assim é deliciosa. Isso ainda pode ser considerado uma vantagem quando se tem preguiça de escolher em cardápios com centenas de opções. E em Manaus, tudo que  cidade pode oferecer de melhor está concentrado no largo de São Sebastião. Quão boa é a surpresa de saber que, mesmo sendo o lugar preferido da turistada, as restaurantes ao redor da praça preferem servir boa comida ao inv’s de enganar os desavisados.

1) Caxiri

O Caxiri é o melhor restaurante de Manaus – da Amazônia, talvez. Ponto. Localizado em um sobrado colonial lindo, com vista para o Teatro Amazonas, o elegante salão deu o mesmo toque refinado da sua decoração aos pratos mais tradicionais da cidade. O arroz de tacacá com camarões grelhados é estupidamente inesquecível, ainda mais se acompanhado de uma banda (lado) de tambaqui, peixe de água doce carnudão e de sabor marcante. Mas não ataque tudo isso antes de pedir ao menos duas das entradinhas: a gente foi de crostini de queijo coalho com jambu – nussinhora – e bolinhos fritos de tambaqui. Para beber, experimente o suco ou batida de bacuri, a versão tropical da lichia. E a sobremesa, claro, tem que ter cupuaçu e castanha – em Manaus, chamada de Castanha da Amazônia, não Castanha do Pará. Spoiler: a Debora Schornik, dona do estabelecimento e mais dócil anfitriã que você poderia encontrar em Manaus, é paulista. Portanto, tratou de ter também uma filial no bairro de Pinheiros.

Dos jardins do Teatro Amazonas, dá pra ver o Caxiri (o casarão azul).

Do Caxiri, dá pra ver o teatro.

Bolinho da tambaqui com chutney de cupuaçu e arubé (R$ 32,00).

Crostini de queijo coalho, pimentas de cheiro queimadas, castanhas e jambu (R$ 32,00).

Costela de tambaqui com gratin de banana, aioli de tucumã e dukkah (R$ 65,00).

A estrela do dia, Arroz de Tacacá com camarões grelhados (R$ 65,00).

Trifle de cupuaçu com creme de cumaru e calda de chocolate (R$ 22,00).

Endereço: Rua 10 de Julho, 495  – Manaus, AM / Rua Ferreira de Araújo, 1007 – São Paulo, SP.

Preço: R$ 80 – 120 por pessoa.

2) Tacacá da Gisela

Mais que um prato, o tacacá é um ritual. A sopa quente de tucupi, caldo extraído da mandioca, é engrossada pela goma de mandioca e, como realce final, recebe camarões grelhados no topo. Sopa quente, debaixo de 30 graus e humidade de um milhão por cento? Ah, mas o jambú… a refrescância da erva que começa como couve e termina como hortelã é uma das magias mais inexplicáveis dos ingredientes amazônicos. O Tacacá da Gisela é servido como tem que ser, na cumbuca indígena e pra tomar com a mão, na rua. É impossível não se sentir mais brasileiro depois de provar um desses.

A barraca do Tacaça da Gisela bomb ando na noite do Largo de São Sebastião.

Nada a ver esse garfo. Tome segurando a cumbuca com a mão, que nem o Sidão faz no vídeo.

Endereço: R. Marçal, 216 – Manaus, AM.

Preço: R$ 18,00 .

3) Tambaqui de Banda

A banda de tambaqui, ou lado inteiro do peixe mais consumido da Amazônia, faz parte do trio de ferro dos pratos que você tem que experimentar para se sentir mais baré – manauara, em amazonês. Nas mesinhas da calçada do Tambaqui de Banda, o peixe grelhado é tão bem servido que você nem vai sentir falta do outro lado. A parte da costela é suculenta e, às vezes, lembra até carne de porco. O lombo, pedaçudo e macio, dá vontade de comer com a mão. Peça o nhoque de tacacá para entrada, com uma cerveja bem gelada pra aliviar a suadeira.

Endereço: R. José Clemente, 596 – Manaus, AM.

Preço: R$ 40 – 80.

4) Bônus: X-Caboquinho no Mercado Municipal

O tacacá é a comida de rua pra abrir uma boa refeição mas, no café da manhã, o momento é do X-Caboquinho. Pão na chapa com queijo coalho, tucumã (um mini côco de casca amarela e muito sabarosa)e, para os mais esfomeados, ainda pode ter ovos e presunto. Essa parte está no nosso outro episódio sobre o que fazer em Manaus ( 3em3.com/manaus ).

O lindo Mercado Municipal, recém restaurado.

Enquanto a fachada frontal é neoclássica, os fundos são totalmente art nuveau.

X-Caboquinho!

Endereço: R. José Clemente, 596 – Manaus / AM .

Preço: R$ 10,00.

Texto: Tiago Caramuru
Imagens: Tiago Caramuru / Sidney Michaluate
Montagem: Levi Freschi / Anderson Spinelli
Edição: Tiago Caramuru / Anderson Spinelli

Comentários

Sobre o Autor
- Desde que descobriu que viajar é possível, viciou. Muita disciplina financeira, um pouco de sorte. Nada como uma viagem após a outra. Escreve o blog Esvaziando a Mochila desde 2009. Publicou, em 2014, o trabalho fotográfico Rumo às Primeiras Mil Viagens, compilação de 100 retratos e paisagens feitos pelo mundo, durante quatro anos.