Gramado (Brasil) – 3 lugares para sua primeira visita

Tudo em Gramado começa na esquina da Borges de Medeiros com a Avenida das Hortênsias. Ali é o centrinho da cidade e o melhor lugar pra bater pernas.

gramado_45_baixa

Avenida Borges de Medeiros, a principal de Gramado.

gramado_43_baixa

Arredores da Igreja Matriz de São Pedro.

gramado_7_web

Avenida Borges de Medeiros enfeitada para o Natal.

gramado_4_baixa

Neblina baixa em Gramado.

gramado_2_baixa

Gramado é famosa pelo romantismo.

Quem vai pra Gramado quer passar frio! E nisso ela faz bonito: mesmo que sua viagem pra lá não seja no inverno, o clima ameno sempre convida o pessoal a se vestir e comer bem.  A Rua Coberta, totalmente feita para pedestres, é uma passarela de lojinhas de souvenir, chocolates típicos da Serra Gaúcha, e restaurantes que colocam suas mesas na calçada, com aquecedores e mantas pro pessoal cobrir as pernas enquanto janta. A rua, que fica bem a frente do Palácio dos Festivais é pública e o acesso é gratuito.

Veja como é o Natal Luz de Gramado, o festival mais bem produzido do Brasil!

gramado_rua_coberta

Rua Coberta iluminada durante a noite.

gramado_5_baixa

Rua Coberta: uma passarela de pedestres elegantes.

No Mini Mundo, todas as maquetes estão 24 vezes menores que as verdadeiras. Assim, dá pra comparar o tamanho dos prédios em tamanho real. Elas estão toda conectadas entre si e, em um piscar de olhos, você vai de Minas Gerais a São Paulo e, quando percebe, já está na Alemanha. Fora as réplicas reais, há todo um mundo imaginário, com muita coisa acontecendo. O visitante recebe um jornal dos principais acontecimentos do Mini Mundo, na porta de entrada, e tenta localizar os fatos: onde a turma do Chaves está tirando foto? E o caso intrigante do brinco perdido? Tem até casa pegando fogo. É claro que o que acaba acontecendo é que os pais ficam cutucando os filhos, excitadíssimos a cada detalhe que conseguem identificar. O ingresso custa R$ 24,00 para adultos e R$ 15,00 para crianças até doze anos.

gramado_gopro_3_web

Mini Mundo, Gramado.

gramado_gopro_1_web

Arquitetura alemã reproduzida no Mini Mundo, com a Torre de TV de Hamburgo ao fundo.

gramado_16_web

Mini Mundo de Gramado, no Rio Grande do Sul.

gramado_18_web

Do Neuschwnstein, em primeiro plano, a Ouro Preto, ao fundo.

gramado_19_baixa

Todas as maquetes estão na escala 1:24 .

gramado_10_web

Detalhe do Mini Mundo, em Gramado.

gramado_11_web

Manchete policial: quem perdeu este brinco?

gramado_9_web

Trens circulam pelos diversos cenários do Mini Mundo de Gramado.

gramado_13_web

Réplica do Museu Paulista (antigo Museu do Ipiranga) ao fundo.

Gramado é bonita, limpa e segura. Não é a toa que, em 2015, foi eleita por leitores do TripAdvisor como o melhor destino turístico do Brasil. Já escutou dizer que ela é um pedacinho na Europa no Brasil? É verdade.E não é só na arquitetura dos chalés enormes e espaçados. Os pinheiros que cercam o Lago Negro, por exemplo, foram trazidos da Alemanha. O cheiro das araucárias e a névoa baixa que fica presa entre elas faz esquecer imediatamente que estamos em um país tropical. O acesso ao Lago Negro é gratuito e bicicletas são permitidas. Contudo, há de se trazer uma do seu hotel, já que não há aluguel dentro do parque.

gramado_21_baixa

Não é so pela arquitetura que Gramado tem ar esnobe: as mudas dos pinheiros do Lago Negro foram trazidas da Alemanha.

gramado_20_baixa

Muito verde, ar puro e romantismo no Lago Negro, em Gramado.

Principal cidade da Serra Gaúcha, ela está mais estruturada que nunca pra receber viagens românticas, gastronômicas ou em família. Fica a só duas horas de estrada de Porto Alegre e, quem decide visitar, geralmente volta. Se não é um destino necessariamente barato, dá pra garantir que vale cada centavo. Pode ir e confiar na qualidade dos serviços: a cidade não só vive disse, como é um exemplo para o país todo de como se desenvolver através do turismo.

Como chegar a Gramado e quem leva: O aeroporto mais próximo de Gramado é o de Porto Alegre, servido por vários vôos das principais companhias aérea do Brasil. Do aeroporto até Gramado são cerca de duas horas serra acima. ATENÇÃO: vários motoristas de van vão te abordar no aeroporto cobrando R$ 60,00 ou mais pelo transfer – acontece que a Citral, única companhia que faz o trajeto oficialmente, cobra R$ 38,35, em ônibus super confortável. Outra opção é alugar um caro no aeroporto de Porto Alegre e será bem útil para se mover por Gramado e outras cidaes da Serra Gaúcha.

Onde ficar: durante nossa viagem a Gramado, ficamos hospedados no excelente Laghetto Gramado, melhor hospedagem da rede Laghetto, que tem vários hotéis quatro estrelas espalhados pela cidade. O Laghetto Stilo, por exemplo, tem apartamentos amplos, bem ao lado da Avenida Borges de Medeiros. No Laghetto Siena,o café da manhã é caprichado.

Quanto custa: um quarto para duas pessoas em hotel quatro estrelas, com café da manhã, custa por volta de R$ 300 – 600 por noite | Ingresso para o Mini-Mundo: R$ 24,00 | Rodízio de galetos, incluindo massas, saladas e entradas quentes: R$ 35 – 69 por pessoa | Sequência de fondues (queijo, carne na pedra e chocolate) : R$ 35,00 a R$ 83,00 por pessoa. | Vinho tinto português (garrafa, em restaurante): R$ 59,00 a R$ 129,00 .

Quando ir:  Julho e Agosto são a época do inverno brabo. Mas para realmente brincar de Europa, vá de Abril a Junho ou de Agosto a Outubro, quando os preços não estão na lua e a cidade não está lotada. De Outubro a Janeiro, acontece o Natal Luz de Gramado, o espetáculo mais bem produzido do Brasil – a decoração da cidade é linda e há show, eventos e desfiles por todos os cantos. É como estar em uma cidade cenográfica, fazendo parte de um filme.

Texto / Imagens: Tiago Caramuru
Edição: Tiago Caramuru / Anderson Spinelli

Comentários

Sobre o Autor
-

Desde que descobriu que viajar é possível, viciou. Muita disciplina financeira, um pouco de sorte. Nada como uma viagem após a outra. Escreve o blog Esvaziando a Mochila desde 2009. Publicou, em 2014, o trabalho fotográfico Rumo às Primeiras Mil Viagens, compilação de 100 retratos e paisagens feitos pelo mundo, durante quatro anos.